Blog

Hábitos diários que vão mudar a sua vida financeira para melhor

5 Hábitos diários que vão mudar a sua vida financeira para melhor

A nossa vida financeira deve ser olhada e analisada ao pormenor para que nada escape do nosso controlo. Então, a melhor maneira de gerir o dinheiro de forma fácil e equilibrada é com a criação e a consistência de bons hábitos financeiros.

Para que a gestão financeira se torne algo mais fácil e simples, a melhor coisa a fazer é registar, quer seja num ficheiro de Excel ou numa aplicação, onde gasta o seu dinheiro de modo a visualizar diariamente as suas despesas. 

 

📌 Leia também:
Perguntas sobre dinheiro que todos devemos fazer
Melhores investimentos para 2021

 

Posto isto, aqui ficam algumas das várias dicas que utilizo para mim:

 

Hábitos diários que vão mudar a sua vida financeira

 

1 – Eliminar os gastos desnecessários:

Se eu quero poupar dinheiro e não tenho controlo sobre o que gasto mensalmente, então a primeira coisa a fazer é um acerto de contas com os números do extrato bancário. Vamos a isso?

Imprima o extrato bancário dos últimos três meses e pinte de verde o que foi um gasto essencial (luz, água, condomínio, supermercado, etc), de amarelo o que poderia ser eliminado (o ginásio que paga e não vai muitas vezes, o almoço no restaurante porque esqueceu da marmita, etc) e de vermelho o que foi um gasto desnecessário (a ida ao cinema que virou ida às lojas com várias sacolas de compras, o ticket do metro que pode ser substituído pela bicicleta, as refeições fora de casa, etc) . 

Nota: em alternativa, pode registar os gastos num sítio da sua preferência (Excel, Word, caderno…) e em cada linha coloque a data, o montante gasto e no que foi gasto. 

Olhe para o registo dos gastos nos extratos e analise a sua rotina para identificar como pode deixar de gastar dinheiro e aliviar as suas despesas mensais. É simples: sempre que for às compras organize a sua lista de compras para gastar apenas o programado e siga a lista à risca, para evitar fugir do orçamento. Estamos combinados? 

Quando ao ginásio, será que não há a hipótese de praticar desporto ao ar livre ou com vídeos do YouTube? Vamos ponderar, sim? 😉

 

2 – Avalie as suas dívidas:

Um dos objetivos que tinha previsto para o ano que passou foi a liquidação de parte de um crédito e como fiz um planeamento antecipado, consegui concretizar esse objetivo, reduzindo significativamente as responsabilidades financeiras ao final do mês. Se ainda não tem este objetivo em mente e tem créditos a decorrer pode e deve começar a pensar nisso. Precisa de ajuda com a redução de um crédito? Vamos conversar!

 

3 – Planeie sempre as suas refeições:

Isso mesmo, antes de ir às compras, deve preparar a ementa semanal! Se souber o que vai comer durante a semana, sabe exatamente o que precisa de comprar e quanto deve gastar. É sem dúvida uma ajuda, para não fugir do orçamento! 

Ainda há outras alternativas, como aproveitar alguma refeição do jantar e acrescentar algum extra para o almoço do dia seguinte, realizar compras em aplicativos que evitam o desperdício de alimento ou que, com alguma frequência, fazem promoção (To Good To Go, Uber Eats e Glovo).

E não se esqueça de deixar tudo já pronto em tupperwares, para não andar a correr e esquecer-se de alguma coisa e ter de gastar com refeições em restaurantes. Estou de olho em si! 👀

 

4 – Utilize os eletrodomésticos em horários mais económicos:

Este hábito vai ajudar na poupança de energia de acordo com o tipo de contador que tem e pode verificar os resultados na sua fatura mensal. Caso pretenda utilizar mais do que um eletrodoméstico ao mesmo tempo, como por exemplo, a máquina de lavar loiça e roupa, tenha em atenção os consumos. Contacte a linha de Apoio ao Cliente da sua empresa e questione quais são as formas de poupar energia!

Ah! Tenha o hábito de desligar todos os equipamentos da tomada, pois aquela luzinha acesa do microondas ou da TV, mesmo que o equipamento esteja desligado, consomem energia.

 

5 – Reserva de emergência:

Analise todas as suas despesas primeiro, e caso ainda não tenha, comece por criar um fundo de reserva para uma situação inesperada que possa surgir, por exemplo, alguma obra que tenha que fazer em casa, para evitar pedir dinheiro à Banca. 

A sua reserva de emergência deve ter, no mínimo, o montante necessário para viver de seis a 12 meses e deve estar guardada numa conta à parte e a qual seja fácil de aceder, caso seja necessário.

Se olharmos bem para os nossos gastos, muitos deles estão em pequenas coisas, com hábitos enraizados e que devem ser modificados, despertando cada vez mais a consciência que cada euro poupado pode sem dúvida fazer a diferença. 

 

Precisa de ajuda para manter as suas finanças planeadas e organizadas? Vamos conversar!  🙂

Partilhar:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn
Scroll Up