Blog

Arrendar ou comprar uma casa?

Arrendar ou comprar uma casa: que decisão tomar?

A decisão de arrendar ou comprar uma casa depende muito da fase da vida em que se encontra e também da sua disponibilidade financeira, não só no momento, mas também a longo prazo. 

 

📌 Leia também:
As 10 regras da poupança

Hábitos que vão mudar a sua vida financeira para melhor

 

Ao comprar uma casa está a fazer um investimento num bem que até pode aproveitar por rentabilizar. No entanto, alugar também tem as suas vantagens: não tem alguns custos iniciais, a manutenção é feita pelo senhorio e se for necessário mudar, o processo torna-se muito mais simples. 

Antes da tomada da decisão pode e deve se questionar: procura estabilidade ou está numa fase que pretende arriscar? Consegue suportar a mensalidade do empréstimo a longo prazo? Vai comprar uma casa sem recorrer a empréstimo?.. Há muitas questões que precisam de ser respondidas pois, só assim, conseguirá a sua resposta a esta questão!

É muito importante perceber se temos algum fundo maneio para por exemplo, podermos dar de entrada para a compra de uma habitação, porque vamos acabar por pedir menos dinheiro ao Banco, mas também é importante não esquecer que não nos devemos descapitalizar, ou seja, não ficarmos sem nenhum fundo maneio e gastá-lo todo na entrada de uma casa. Temos também que deixar algum para continuar a juntar e a poupar!

Comprar casa é sem dúvida um investimento a longo prazo, que deve ser muito bem ponderado e é ao mesmo tempo um investimento porque vai ter que dispor de capital próprio mais não seja para as despesas associadas à compra.

Também podemos dizer que é um sonho para muitos portugueses ter uma casa, onde não dependentes de acordos com senhorios e acaba também por trazer mais estabilidade e conforto na medida em que caso invista em melhorias da habitação está a fazê-lo para seu proveito presente e futuro no caso de vender mais tarde.

A análise também não pode ser só ao valor da prestação que vamos pagar, mas tudo o que envolve um empréstimo habitação, ou seja, prestação com taxa fixa ou variável, seguros de vida e multirriscos habitação, despesas com a escritura e registos, etc.

Só depois destas contas todas feitas, é que devemos decidir se realmente a compra de casa pelo Banco faz sentido.

Lembre-se que, desde o início deste ano de 2021, os bancos deixam de cobrar comissões de cobrança de prestação nos créditos, as declarações de dívida onde tem um limite de 6 declarações por ano gratuitas, comissões associadas ao fim e renegociação de crédito, para os novos empréstimos, surgindo numa altura fundamental onde as pessoas precisam desta importante boa nova.

Perceber se a taxa de esforço está dentro do aceitável (até aos 35%), que é a mesma coisa que dizer que: o esforço que estamos a pensar fazer para pagar uma responsabilidade com este crédito é passível em relação às demais obrigações que possamos ter?

A decisão é sua! Analise bem todos os prós e contras e veja de acordo com o que está disposto a pagar qual a solução mais adequada. Não se esqueça que a sua escolha deve ser muito bem ponderada para que a decisão seja acertada.

 

Gostou deste artigo? Partilhe a sua opinião nos comentários 😉👇

Partilhar:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn
Scroll Up